Tróia - (2004): Sinopse, Resumo e Trailer

O filme Tróia é considerado por muitos como um dos melhores filmes já feitos, é o filme perfeito para quem gosta de mitologia grega, guerra e romance.

Loki (Deus do Fogo)

Loki é considerado o Deus do fogo, da trapaça e travessura e também um dos mais importantes da mitologia nórdica.

Deimos, o deus do pânico

Existem dois deuses que você nunca irá querer conhecê-los pessoalmente, um deles é Deimos.

Odin! Deus da sabedoria, da guerra e da morte.

Odin é filho de Borr e da Jotun e é considerado um dos primeiros Deuses da Mitologia Nórdica, e também considerado o mais importante desta saga.

Nice, a deusa da vitória

Era filha de Palas(titã da guerra) e Estige(ninfa e um rio do mundo inferior), foi irmã de Cratos(o deus do poder), Bia( a deusa da violência) e de Zelo(o deus da fúria).

segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

O Senhor dos Anéis: A Sociedade do Anel - Cenas Deletadas e Comentadas




Das obras de mitologia tolkeniana, a mais conhecida sem dúvidas é a trilogia de O Senhor dos Anéis, muito por sua divulgação através dos filmes de Peter Jackson. Para muitas pessoas, quando ouvem o nome "O Senhor dos Anéis" automaticamente é citado a sua longa duração. E de fato, a longa duração dos filmes (que somados possuem 558 min) tornou-se marca registrada.

Mas alguém ai conhece as cenas deletadas? Eles ficariam ainda maiores com essas cenas que serão apresentadas abaixo! Será que elas comprometeram o enredo? Ou será que eram mesmo desnecessárias?

Cena 01 - Bilbo fala sobre Hobbit



Esta primeira cena seria um início alternativo talvez, ou outra parte do mesmo. Bilbo explica um pouco sobre os interesses dos hobbits, descrevendo suas principais características. O livro possui um prólogo, no qual essa explicação é dada ao leitor. Não que a cena fosse de fato necessária para a compreensão do enrendo, ela não chega a modificar o sentido, porém por ser uma cena curta, creio que poderia ter sido adicionada, uma vez que tornaria mais compreensível o espanto quando Frodo é designado a destruir o Anel.

Cena 02 - O sonho de Boromir



No conselho de Elrond, Boromir conta o sonho que teve, que o fez vir até Valfenda. Essa seria uma parte interessante, pois explica o motivo da presença dele no conselho, mas a exposição dela levantaria perguntas sobre o motivo dos outros estarem ali também, o que levaria muito tempo. Mas a cena também mostra Gandalf falando no idioma de Mordor, algo sinistro que deveria ter sido mostrado, pois é grandioso.

Cena 03 - Despedida de Elrond



Após as definições do conselho, Elrond dá bençãos aos nove membros, na busca para destruir o Anel. Na humilde opinião do que vos fala, esta cena não faria diferença se fosse adicionada, pois não possui algo fundamental na história.

Cena 04 - Os Presentes de Galadriel



Esta cena foi cortada apenas em parte, pois no filme original aparece Frodo recebendo a luz de Eärendil. É uma cena onde fica explícita a grandeza da dama da floresta, que concede a Merry e Pippin punhais de Gondolin (no livro são só as bainhas), a corda élfica a Sam, o arco de Lothlórien para Legolas e a Gimli fios do seu próprio cabelo, uma vez que o anão ficou fascinado pela beleza da Senhora élfica. Por ser uma cena grande, mostra também um diálogo entre Aragorn e Galadriel (que é avó de Arwen, amada de Aragorn, algo que não fica explícito no filme), em puro élfico. É uma bela cena, que acrescentaria bastante se tivesse sido exibida na versão normal.

Cena 05 - Elfos deixando a Terra Média



Essa cena seria dificilmente encaixada, uma vez que no livro acontece num espaço e contexto muito diferentes. No livro, Frodo e Sam não simplesmente saem do nada para Mordor, eles fazem um plano junto a Gandalf para partir de Bolsão para a Terra dos Buques, tendo como pretexto "se mudar devido a falta de dinheiro". Frodo e Sam vão para a Terra dos Buques encontrar Merry e Pippin, que a princípio não deveriam saber da missão, enquanto que no filme a impressão que temos é que eles mal saem de Bolsão e já cruzam com os outros hobbits, então essa cena, apesar de muito bela, não faria nenhum sentido.


Espero que tenham gostado, e lembrando que todas essas cenas estão presentes na versão estendida do filme. Em breve teremos surpresas sobre Tolkien! Um especial sobre os filmes da saga!!

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Tirinha #2


Tirinha do site Um Sábado Qualquer, na categoria Buteco dos Deuses.

domingo, 16 de junho de 2013

Páris, o filho de Príamo

Páris.

Páris era um dos príncipes de Tróia, foi filho de Hécuba e de Príamo, rei de Tróia. Era um admirador, sempre valorizava e apreciava as mulheres, sempre as deixando encantadas. Logo ao nascer foi condenado á morte pelo seu próprio pai, pois um oráculo previu que Páris iria acabar com o império vitorioso que Príamo havia construído. Foi abandonado no alto de uma montanha mas acabou sendo encontrado por um pastor que deu-lhe todo o carinho e educação que precisava, ensinou-lhe a cuidar das ovelhas. O tempo passou, Páris cresceu, tornou-se um homem belo e encantador, sempre com uma aventura amorosa diferente para se orgulhar.

Helena e Páris.

Durante anos nós lemos e ouvimos histórias sobre deuses, heróis e monstros de diversas mitologias, ás vezes chegamos a idolatrar ou a odiar alguns desses personagens. Odiamos aqueles que mataram os personagens que nós idolatramos, isso é fato.

Mas onde entra Páris nisso? Muitos adoradores da mitologia grega enxergam Aquiles como o maior herói de toda a Grécia, que logo foi morto por Páris com uma flechada no calcanhar. Esse mesmo Páris que fez com que ocorresse toda a Guerra de Tróia após raptar Helena foi o mesmo que matou um dos principais heróis dessa mesma guerra.

Já vimos os motivos pelo qual muitos não o admiram, mas vamos agora para os motivos que levam a admirá-lo, principalmente as mulheres. Páris não era o principal príncipe de Tróia, não era um herói e muito menos corajoso, mal sabia segurar uma espada, seu irmão era quem sabia fazer tudo isso. Então vem aquilo que pode mudar qualquer história, a beleza, Páris era bonito, mulheres se apaixonavam por ele com muita facilidade.

Páris tendo que escolher a mais bela entre as três deusas: Atenas, Hera e Afrodite.

Uma das histórias vividas por Páris é a em que teve que escolher a mais bela entre três deusas: Hera, Atena e Afrodite. Cada uma tentou suborná-lo com ótimas propostas para ganhar o pomo dourado, mas a única que ofereceu a ele o que mais queria foi Afrodite que o ajudou a ter a mais bela semideusa, Helena.


O príncipe troiano não teve uma vida muito gloriosa, causou a guerra, a destruição de Tróia e a morte de seus familiares. Conseguiu não ser lembrado apenas por isso, pois matou Aquiles. Foi morto por Filoctetes após ser atingido por uma flecha envenenada.

Filme


Páris e Helena no filme Tróia.

No filme Tróia, que conta o que ocorreu durante a Guerra de Tróia, Páris rapta Helena, quase morre para Menelau e no final mata Aquiles com uma flecha no calcanhar.

sábado, 18 de maio de 2013

Árvores Genealógicas

Cá entre nós. por vezes os nomes dos elfos e homens nos deixam meio confusos né? Túrin filho de Húrin, Fingon, Turgon, aos desavisados essa avalanche de nomes pode causar uma enorme dor de cabeça. Buscando evitar isso, trago para vocês as árvores genealógicas das duas casas mais importantes de homens, Hador e Bëor, e das duas mais importantes dentre os elfos da Terra Média, os Noldor e os Sindar.

Vale a pena lembrar que quem quiser pode encontrar essas mesmas árvores no fim do Silmarillion, obra póstuma publicada por Christopher Tolkien, livro do qual foram retiradas.

Bëor, o Velho, foi o primeiro líder do primeiro dos clãs dos homens a entrar em Beleriand, por isso ele é considerado o primeiro "Rei" dos homens.

Bëor, o Velho.

Finwë foi o primeiro rei do segundo clã de elfos a partir para Valinor, mais detalhes sobre essa casa em Noldor.


A Casa de Hador foi leal a Fingolfin e depois a Fingon, ela tinha sua sede em Dór-Lómin.


O povo de Olwë e Elwë era o maior dos três clãs de elfos que partiram para Valinor, mas muitos ficaram em Beleriand ou em outros lugares, sendo poucos os dessa casa que chegaram até Valinor no tempo das Árvores. São conhecidos como Elfos Cinzentos(Sindar).

Pã, o deus dos bosques



A data 18 de maio tem várias histórias para contar como o dia em que Napoleão Bonaparte foi nomeado Imperador da França em 1804, o nascimento do cantor e surfista Jack Johnson em 1975, a morte de Tupac Amaru II ao ser traído em 1781 ou talvez o nascimento de Franklin Roosevelt em 1971, um dos melhores goleiros do futsal brasileiro. Mas o mais importante dessa data na mitologia grega é que hoje é o dia do nosso querido deus dos pastores, dos bosques, dos rebanhos e dos campos, o deus Pã.

Pã era apaixonado por música, morava em cavernas e andava por vales e montanhas onde caçava por diversão. Todos que precisam passar por dentro de florestas durante a noite na escuridão temem ao deus Pã que é derivado de Pânico.


É representado com patas de bode, barba pontiaguda, corpo peludo e chifres, ou seja, um sátiro. Nasceu da união entre Hermes e Dríope após o deus em forma de tartaruga seduzir a ninfa. O grande amor de Pã foi Selene, o deus a seduziu disfarçando-se com uma pele de ovelha e ainda presenteou a deusa com um rebanho de bois brancos.

Livros


No livro “Percy Jackson e os Olimpianos - A Batalha do Labirinto”, Pã estava sumido a mais de dois mil anos, e durante todos esses anos vários sátiros foram a sua procura e nenhum voltou. Foi encontrado por Grover, Percy, Annabeth, Tyson e Rachel. Antes de morrer em paz, falou algumas palavras que deixaram Grover chateado, o deus disse que os homens já destruíram quase tudo do mundo selvagem, e por isso não havia salvação.

sábado, 11 de maio de 2013

Tróia - (2004): Sinopse, Resumo e Trailer


Sinopse


O filme Tróia é considerado por muitos como um dos melhores filmes já feitos, é o filme perfeito para quem gosta de mitologia grega, guerra e romance. O elenco conta com ótimos atores: Brad Pitt(Aquiles), Sean Bean(Ulisses), Orlando Bloom(Páris), Rose Byrne(Briseis), Garrett Hedlund(Pátroclo), Diane Kruger(Helena), Tyler Mane(Ájax), Eric Bana(Heitor), Nathan Jones(Boagrius) e muitos outros espetaculares atores.

A história conta de uma forma emocionante o que ocorreu na Guerra de Tróia, mas muda muitas coisas para poder agradar ao público. Temos dois romances acontecendo durante a guerra. Um filme onde reúne Aquiles (o maior herói grego), Ulisses e outros grandes heróis gregos certamente merece ser considerado como um dos melhores filmes já feito.

Resumo


O filme começa com Agamemnon prestes a conquistar Tessália, para isso os reis de cada lado decidiram fazer uma batalha “a moda antiga”, o melhor herói do exército de Agamemnon contra o melhor herói de Tessália, assim temos o duelo entre Aquiles e Boagrius. Aquiles venceu facilmente.

Toda guerra tem uma causa e uma consequência, na Guerra de Tróia não foi diferente. Menelau estava cansado de tantas batalhas e procurou paz com Tróia, estavam finalmente em paz. Mas essa paz acabou a partir do momento em que um dos príncipes de Tróia, Páris, roubou Helena de seu marido, Menelau.

Motivo para guerra eles já tinham, mas Menelau contou com a ajuda de seu irmão Agamemnon para essa Guerra e tudo o que o seu irmão queria era conquistar toda a Grécia. Agamemnon mandou Ulisses para convencer o semideus Aquiles a lutar. Mas antes de Aquiles decidir o que iria fazer, teve uma conversa com sua mãe Tétis, que lhe deu duas opções: Fique e terá uma linda família e seu nome será passado de geração em geração por seus descendentes ou vai para a guerra e morre, mas terá seu nome lembrado por todos para sempre. Claro que a opção escolhida foi a segunda, juntaram então todos os soldados e heróis gregos para enfrentar a poderosa muralha de Tróia, entre esses heróis estavam Aquiles, Ulisses, Ájax e Pátroclo e do lado de Tróia estavam os príncipes Heitor e Páris.

Ao chegar na praia de Tróia, Aquiles e sua tropa a conquistaram com muita facilidade. Aquiles tem uma breve conversa com o herói troiano, Heitor. Bríseis foi raptada do templo de Apolo e oferecida a Aquiles como prêmio pelo seu feito durante o dia e assim surgiu um novo romance. Após uma discussão entre Aquiles e Agamemnon, o rei ordenou que Briseis fizesse tudo o que lhe mandasse. Por causa disso Aquiles se negou a entrar no campo de batalha com os mirmidões, causando uma grande reviravolta, até mesmo Ájax foi morto por Heitor. Os troianos começaram a dominar a guerra.

Pátroclo vendo todo o estrago que estava sendo feito pelos troianos teve a não brilhante ideia de vestir a armadura de Aquiles e enganar os mirmidões e os levou para a guerra. Foi uma ótima tentativa, mas Pátroclo foi morto por Heitor, que ficou mais surpreso do que qualquer outro ao ver que não era Aquiles pois sabia a raiva que teria que enfrentar depois. Não houve mais guerra naquele dia, Aquiles ao saber sobre o acontecido ficou com muita raiva e foi atrás de Heitor sozinho mesmo contrariado por Briseis ao saber que a vida de seu primo estava em perigo. Aquiles berrava de raiva pelo nome de Heitor, após uma batalha entre os maiores heróis de cada lado Aquiles saiu vencedor, amarrou Heitor pelos pés em sua quadriga e o arrastou na frente de todos. Ao voltar para sua cabana, Briseis não sabe se chora ou comemora mas chora em tristeza por saber que seu primo estava morto. Mais tarde, Príamo(rei de Tróia), visita Aquiles e pede de joelhos para que possa fazer um funeral digno para seu filho, seu pedido foi aceito. Aquiles deu-lhe 12 dias de paz e ainda libertou Briseis como prova de que além de um herói também sabe respeitar seus inimigos. Páris finalmente se ligou e viu que tudo estava acontecendo realmente era por total culpa dele e começou a treinar com um arco e flecha na espera da vingança pelo seu irmão.

Cansado de tantas mortes, Ulisses que sempre soube ser inteligente, teve a brilhante ideia de fazer um Cavalo, o famoso Cavalo de Tróia, onde colocou guerreiros dentro dele, escondeu todos os navios e deixou alguns guerreiros mortos com marcas no rosto fazendo com que acreditassem que tivessem sido atacados pela “peste”. Os troianos ao verem o cavalo pensaram que fosse uma oferenda a Poseidon e ao invés de queimá-lo levaram o cavalo para o templo de Poseidon dentro de Tróia. Fizeram uma grande festa e durante a madrugada enquanto todos estavam acabados os guerreiros saíram de dentro do cavalo e abriram o portão da muralha de Tróia, e assim a cidade começou a ser destruída. Aquiles estava lá com apenas um objetivo: salvar Briseis. Agamnenon matou Príamo, Briseis matou Agamnenon, Aquiles salvou Briseis e então apareceu Páris que matou Aquiles com uma flecha no tendão, único lugar em que não era imortal. Páris continuou lançando flechas em Aquiles mesmo com Briseis pedindo para que parasse. Aquiles se despediu de Briseis sabendo que conseguiu mantê-la viva. O semideus foi morto e Tróia foi dominada, teve um funeral digno de para um grande herói grego e conseguiu com que seu nome fosse lembrado por todos para sempre.

Trailer



Compre o filme Tróia



A criação


Caso algumas pessoas ainda estejam um pouco perdidas no mundo de Tolkien, aqui vai uma postagem sobre o começo dos tempos e os Valar (que podem ser comparados aos deuses).

Semelhantemente ao Cristianismo e á Mitologia Grega, o mundo começou do nada. O mundo não. No início havia apenas o Vazio, e no Vazio havia Eru, que dentre os elfos é conhecido como Ilúvatar. Eru é um ser sem forma, onipotente e onisciente, em semelhança ao Deus cristão. Talvez isso tenha vindo inclusive da família cristã de Tolkien.

Eru criou a partir de seu pensamento, os Ainur, seres de enorme poder, porém inferior ao do mesmo. Então Eru sugeriu três temas para que os Ainur cantassem, e eles cantaram e encheram o Vazio, mas acabou que a partir dessa canção, Arda (a Terra) foi criada, e passou ao controle de alguns Ainur para exercer a vontade de Ilúvatar.




Assim foi criado o mundo tolkeniano, mas até a chegada dos elfos houve muitas coisas, belas criações e terríveis guerras, pois dentre os Valar (Ainur que desceram até Arda) havia um que era o mais poderoso, o mais cruel, e o único que havia discordado de Eru, seu nome era Melkor.

O líder dos Valar se chamava Manwë, esposos de Varda, e juntamente com os outros eles criaram o mundo como é conhecido. As árvores e plantas ficaram por conta de Yavanna, as estrelas foram criadas por Varda, os ventos eram súditos de Manwë, e Ulmo tem controle e poder nas águas. Oromë amava a caça aos seres maléficos de Melkor, enquanto que sua irmã Nessa amava os cervos, e adora dançar sobre a grama. Aulë tem o domínio sobre todos os metais que nascem na terra, além de ser pai e criador dos anões. Mandos e Lórien são irmãos, e enquanto Mandos cuida das Casas dos Mortos e sabe de tudo o que Ilúvatar quis revelar sobre os destinos de Arda, Irmo é o curador dos ferimentos da terra.

Muitas foram as belezas criadas pelos Valar, e muitas e muitas mais foram destruídas por Melkor em sua ganância. O último dos Valar veio para enfrentar Melkor era Tulkas, o mais poderoso na luta. Assim, quando chegaram os elfos o mundo já estava desgastado das guerras.

Como é percebível, Tolkien teve certa semelhança com o cristianismo em sua criação, mas não só com o cristianismo como com qualquer outra religião/mitologia que crê em um ser onipotente. Espero que isso tenha ajudado a entender um pouco sobre a criação do mundo, e prometo que em breve trarei uma postagem sobre os Valar!

sexta-feira, 12 de abril de 2013

Nice, a deusa da vitória

Nice.

Continuando as postagens sobre os deuses menores da mitologia grega, vamos conhecer a deusa Nice.

Talvez muitas pessoas não façam ideia de quem ela seja, mas Nice(Niké) é a deusa grega da vitória. Era filha de Palas(titã da guerra) e Estige(ninfa e um rio do mundo inferior), foi irmã de Cratos(o deus do poder), Bia( a deusa da violência) e de Zelo(o deus da fúria).

Jogos Olímpicos


Quando relacionamos mitologia grega com a deusa da vitória, logo pensamos em jogos olímpicos, certo? Nice, por ser a deusa da vitoria, aparece em quase todas as medalhas das Olimpíadas.

Os gregos sentiam-se muito felizes após fazerem grandes feitos , pois a partir desse momento consideravam-se abençoados pela deusa Nice. Para um simples mortal isso realmente era um motivo de se gabar, mas para um semideus isso era algo além do comum.

Veja a medalha da primeira Olimpíada feita de prata, em Atenas(1896):


E a medalha de ouro da última Olimpíada, em Londres(2012):


Marca de Material Esportivo


Aposto que você já usou, ouviu ou usou algum dos produtos da marca Nike, mas já parou para pensar a origem desse nome?

Sendo “Nice” a deusa da vitória, qual seria o melhor nome para uma empresa onde seus produtos visam principalmente os jogadores de basquete, futebol e outros muitos esportes? Óbvio que Nike, sinônimo de Nice, enquanto alguns fazem esportes apenas para praticar, outros praticam para ganhar títulos e medalhas. Podemos comparar o símbolo da marca Nike com a asa da nossa deusa Nice.


Símbolo da marca de material esportivo, Nike.

 Acho que a mensagem que podemos decifrar é “compre Nike, e saia vitorioso”.

sábado, 23 de março de 2013

Tuor, Filho de Huor

Os grandes homens da linhagem de Hador não serão representados aqui apenas pelo amaldiçoado e triste Túrin Turambar. Por mais que a história de Túrin mereça atenção especial e tenha mudado alguns dos desígnios de Arda, a de Tuor mudou mais ainda, afinal ele foi nada mais do que pai do meio-elfo que salvou a Terra Média!

Filho de Huor e Rían, e portanto primo de Túrin, Tuor foi criado pelos elfos cinzentosd das regiões montanhosas próximas ao Lago Mithrim. Depois da morte de sua mãe, e quando já era adulto, os elfos decidiram fugir da guerra que assolava a região, mas Tuor acabou se perdendo no caminho. Depois de muito tempo procurando o caminho, Tuor achou dois elfos, e eles então mostraram o caminho para fora das cavernas onde ele se encontrava.


Seguindo seu caminho em direção ao sul, Tuor chega então a Nevrast. Neste ponto vale a pena contar uma pequena histórinha sobre Nevrast: durante muito tempo esse lugar foi o reino de Turgon, filho de Fingolfin, mas após seguir o conselho de Ulmo e começar a construir o Reino Oculto de Gondolin, o povo começou a abandonar essa cidade e partir para sua cidade segura. Entretando, instruido por Ulmo, Turgon deixou uma túnica, um elmo e uma espada, para que seu enviado em tempos futuros fosse reconhecido. Pois bem, Tuor era esse enviado, e quando encontrou as armas encontrou também Voronwë, e o elfo o conduziu para os palácios secretos de Turgon.

Perante o rei, Turgon falou com a voz de Ulmo, e lhe foi permitido permanecer em Gondolin. Lá apaixonou-se por Idril, ninguém menos do que a filha do rei, mas pelo enorme amor que Turgon sentia por ele o casamento foi consentido. Desse matrimônio entre elfa e humano nasceu Ëarendil, O Marinheiro, que salvaria a Terra Média em tempos futuros.


Depois da Queda de Gondolin causada pela quebra do segredo de sua localização por parte de Maeglin, que invejava Tuor, a cidade ficou completamente destruída e apenas alguns poucos conseguiram escapar, mas quem liderava os sobreviventes era ninguém menos do que o próprio filho de Húrin. Após fugir para as Fozes do Sírion, Tuor embarca em direção às Terras de Aman, onde ficava Valinor e os Valar, terra que era proibída aos homens. A Tuor apenas é permitido a entrada, mas não a saída. Os Valar negam seu pedido de ajuda contra Melkor, e dizem que ele não é aquele que conseguirá isso, mas permitem ficar em Valinor e permanecer imortal.

Pequena curiosidade que vale a pena trazer a tona: Tuor e Túrin, dois dos maiores heróis dos homens, senão os maiores, da Primeira Era, se viram apenas uma vez, e de relance apenas. Tuor ia com Voronwë em direção a Gondolin quando viram passar O Espada Negra de Nargothrond, em busca de Finduilas, logo após a destruição de dessa cidade por parte de Glaurung. Mesmo nesse pequeno instante, Tuor conseguiu distinguir a enorme tristeza na voz e no rosto de Túrin Turambar.

Espero que tenham gostado e até a próxima!

domingo, 17 de março de 2013

Noldor


            Dentre os três clãs dos elfos que partiram de Cunúvien para a Grande Viagem, os que mais aparecem nas histórias da Primeira Era são os noldor. Mestres na sabedoria, eram os melhores na arte dos trabalhos manuais, e tinham cabelos pretos. De todos os Valar, amavam e eram mais amados por Aulë, o vala das criações.

            Liderados por Finwë, partiram como o segundo clã para as Terras Abençoadas. De todos os elfos, eram os melhores ferreiros de todos, e entre todas as suas obras, a maior de todas são as Silmarils, as pedras feitas por Fëanor com a luz das Árvores de Valinor.

            Depois da morte de Finwë, grande parte dos noldor seguiu Fëanor para a Terra Média, atrás de vingança. Sobre esses que foram caíu a Maldição de Mandos, que será exposta aqui:

            “Vocês verterão lágrimas sem conta; e os Valar cercarão Valinor para impedi-los de entrar. Ficarão de tal modo isolados, que nem mesmo o eco de suas lamentações atravessará as montanhas. Sobre a Casa de Fëanor, a ira dos Valar se abate, desde o oeste até o extremo leste, e sobre todos aqueles que se dispuseram a acompanhá-los.”


            Depois da fuga, Finarfin ficou sendo o Rei dos Noldor nas Terras Abençoadas, e com o tempo os noldor da Terra Média tiveram permissão de voltar à Valinor. A história dos noldor na Terra Média é entrelaçada com a das Silmarils e com o ódio de Morgoth. A ordem dos Reis na Terra Média é: Fingolfin; Fingon; Turgon; e o último dos Altos reis, Gil-Galad.

            Fingolfin, que reinou por muitos anos durante o Cerco a Angband, foi morto em combate singular contra Morgoth, e a partir daí o trono passou para seu filho Fingon. Fingon reinou por pouco tempo, pois foi morto durante a Nirnaeth Arnoediad, A Batalha das Lágrimas Incontáveis, e então seu irmão Turgon passou a ser o Alto Rei, uma vez que Gil-Galad era apenas uma criança a ser criada nos portos por Círdan. Turgon perdurou até Gondolin ser invadida e destruída, e a partir de então Gil-Galad se tornou o Rei, e reinou até o fim da Segunda Era, onde morreria na Batalha da Última Aliança, contra Sauron.



            Seus povos viviam espalhados pela Terra Média, em diversos povoados, mas  sua maioria se encontrava em Hitlum, Gondolin, Nargothrond, e a alguns ainda foi permitida a entrada no primeiro dos reinos élficos, na terra de Doriath, devido ao parentesco do rei Thingol com Finarfin, Rei dos Noldor em Valinor.

            Na época de O Senhor dos Anéis, podemos ver alguns descendentes dos noldor, e entre eles temos uma das grandes. Galadriel, a dama da floresta de Lórien, é filha de Finarfin, Rei no Oeste. É provável que ela seja a segunda elfa mais velha da Terra Média, atrás apenas de Círdan, o que lhe dá muita sabedoria, e tem muito poder por ter visto a luz das Árvores de Valinor

sábado, 23 de fevereiro de 2013

Os filhos de Loki com Angrboda. (Parte II)


Continuando nosso outro post sobre "Os filhos de Loki com Angrboda". Resolvi juntar o post em duas partes, pois eu sei o quanto são preguiçosos e também pois ia ficar muito grande tudo em um único post. Hoje vamos falar sobre os dois últimos filhos de Loki. Caso você não tenha lido a primeira parte é necessário que leia clicando aqui. E la vocês vão conhecer a giganta Angrboda, esposa de Loki e mãe de Fenrir. Fenrir também está em nosso outro post, esse post é exclusivo para a gigante Jormungand e Hel.



Jormungand (A serpente que matará Thor)


Durante muitos anos Odin observava que as criações de Loki eram frutos terríveis e qual seriam ameaças aos deuses e a Asgard. Por sua preocupação, separou os monstros, raptou Jormungand e jogou ela em um oceano circulado em Midgard. Em Midgard a serpente, giganta e monstruosa Jormungand cresceu e se desenvolveu tão apta para ser maior do que toda a terra. Ela mesmo podia alcançar sua própria calda, apenas em volta da terra.

Foi por muito tempo conhecida como Serpente do Mundo ou Serpente do Mar e um dos principais destaques nos eventos de Ragnarök. É considerada a filha do meio de Loki e Angrboda e suas principais fontes de sua existência vem da Edda em Prosa, especificamente do poema Skaldic.




Anos atrás, Thor encontra a serpente em uma viagem que fazia em busca de seu martelo. Logo após encontrar a serpente ela o desafia-o a levantar ela mesmo. A serpente estava em forma de um gato colossal, culpa da magia de Loki. Thor aceita o desafio mas sabe que incapaz de levantar a serpente, mesmo por tentar, Thor mal consegue tirar as quatro patas da serpente em forma de gato.

Com o fracasso de Thor (Porem ainda deixa Loki impressionado com sua força), Thor vai embora e só encontra a serpente anos mais tarde quando estava com Hymir (Gigante pai de Týr, casado com a outra giganta Hroor), os dois estavam a pescar. Levados ao mar, Thor se oferece como isca para buscar os peixes. Logo Hymir recusa usar Thor como isca, é então que Thor caça um boi e leva para Hymir como isca. A cabeça do boi é mordida por Jormungand, onde Thor faz força para puxala. Sua força impressiona até mesmo o gigante Hymir, que ao ver Thor tirando a serpente para fora e tentando decepar ela. Hymir logo corta a corda da isca. A serpente então afunda pelas ondas.

O último encontro de Thor com Jormungand só acontece no Ragnarök. A batalha do fim do mundo começa, e Thor tem como objetivo matar a giganta serpente. Após os dois lobos filhos de Fenrir, liberarem o caos, efetuando o Ragnarök, a serpente Jormungand se libera soltando todo seu veneno indo aos céus. A batalha começa com Thor sendo mordido pela serpente, que logo Thor o mata, encerrando assim a batalha. Conta a lenda que Thor caminhou apenas nove paços e caiu morto. A serpente que Thor matou, matou Thor pois o veneno foi tão intenso que nem mesmo o bravo e forte herói de Asgard conseguiu segurar.




Hel ou Hela (Do mundo dos mortos?)


Talvez essa seja uma das personagens mais belas, mais ao mesmo tempo mais horríveis possíveis da mitologia nórdica. E vocês se perguntam o motivo disso? Eu explico. Hel foi mandada por Odin para Helheim, (faz jus ao seu nome de Hel) que fica no mundo obscuro de Nifilheim. Lá foi encarregada de cuidar dos mortos, seria ela então a governanta do mundo dos mortos. E o motivo a qual me refiro tanto por ser bela ao mesmo tempo horrível, é por sua metade mulher e metade cadáver em decomposição. Mas porque essa aparência? Hel tem essa aparência pois cabe a ela julgar o que é bom ou ruim, cabe ela a decidir o destinos dos inquilinos mortos.




Hel morava em palácio chamado Elvdiner. Seu palácio era baseado na fraqueza, sentimentos e inquietudes dos humanos. Sendo que suas paredes formavam o sofrimento e angustia.





Para aqueles fanáticos por HQ, principalmente da DC, saibam que no Batman. O vilão Duas-Caras é baseado nela. Ela não serviu só de inspiração para o vilão da DC, mas sim para muitos outros destrinchados pela sua metade e aparência.

Até a próxima! (:

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Gandalf, o Cinzento

Um dos personagens mais carismáticos e adorados, além de conhecidos, de Tolkien é Gandalf, o Cinzento. Gandalf é um mago que peregrina pela Terra Média, aconselhando os homens com corações pesados. Entre os elfos é conhecido por Mithrandir, entre os homens por Gandalf, mas seu nome original é Olórin, um dos Maiar.



Depois da Guerra da Ultima Aliança, os Valar resolveram mandar ajuda aos habitantes da Terra Média, e enviaram cinco Maiar: Olórin (Gandalf), Radagast, Curunnír (Saruman) e os Magos Azuis, Alatar e Pallando. Eles vieram em forma de homens, sucetíveis à medos e à morte.

Gandalf se destacou entre o público por ser sábio e cheio de preocupação com outros e extremamente poderoso. Fazia parte da companhia que partiu do Condado para reconquistar Erebor, aventura que resultou na Batalha dos Cinco Exércitos, e ainda, no caminho, expulsou o Necromante de Dol Guldur, juntamente com o Conselho Branco.

Sessenta anos depois, durante a época de O Senhor dos Anéis, Gandalf orientou Frodo para que fosse para Bri, e depois para Valfenda, na busca por destruir o Um Anel. Frodo chegou em Valfenda quase ao mesmo tempo que Gandalf, que foi preso em Orthanc por Saruman, que revelou sua traição em favor de Sauron. Participou do conselho de Elrond, onde ficou decidido que iria junto com a Comitiva do Anel.

Em Moria, Gandalf tem sua luta mais famosa: contra um Balrog de Morgoth. Para terminar a luta, Gandalf quebra a ponte que saía de Kazad-dûm, ato pelo qual ficou imensamente famoso pela frase: “You shall not pass!” (Você não pode passar), unindo espada e cajado. Infelizmente, acaba caindo junto com o demônio, e após uma imensa luta ele morre, matando o inimigo.



Trazido de volta a vida como Gandalf, o Branco, nosso mago orienta Aragorn e os homens de Rohan e Gondor, em sua luta contra Sauron, que acaba por sair vitoriosa, graças a sua ajuda. É por muitas vezes comparado ao mago Dumbledore, de Harry Potter, por sua enorme barba, pela magia e por ser extremamente sábio, embora na minha concepção, Gandalf ainda seja superior ao velho mago.


“You shall not pass!”

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Os filhos de Loki com Angrboda. (Parte I)


Hoje vamos falar sobre os filhos de Loki com a gigante Angrboda. Se você ainda não leu o post sobre Loki, recomendo que o leia antes, para toda e boa informação e maior compreensão deste artigo. Clique aqui para saber sobre Loki. Para os mais familiares sobre o assunto, ou aos que leram nosso post sobre Loki, recomendam que continuem aqui. Resolvi juntar informações sobre estes três gigantes e mais informações extras sobre a gigante Angrboda, em dois posts. Estão Preparados? Eu espero que sim!




Talvez seja difícil dar uma breve introdução sobre o assunto, talvez seja difícil esclarecer o assunto. O que eu posso contar é que todos acontecimentos descritos aqui neste post, são uma junção dos eventos de Ragnarök e um dos poemas do Edda em prosa. O poema Gylfaginning! Que nada mais é que a primeira parte do Edda em prosa, seguindo o cronograma de eventos. Seguido por Sháldskaparmál e Háttatal.

Em boa parte do seu tema e dos poemas de Edda, Loki foi casado com Singyn, com quem teve os filhos Nari e Narfi, mas não estamos aqui pra falar sobre estes. Estamos aqui pra falar sobre os três filhos de Loki com a giganta Angrboda, a qual foi casada com Loki em uma época um pouco distante e abstrata, com várias controvérsas.

Mas então, quem são esses três gigantes? Os gigantes Fenrir, Jormugand e Hel, são criaturas monstruosas e gigantes, isso explica o fato da semelhança com a mãe. Logo começarei por ela.


Angrboda (Que te ofertarás tristeza) 


Sua passagem pela mitologia nórdica é rápida e quase nada notável, com apenas alguns poemas do Edda em prosa como Gylfaginning e Völuspá. Por estes e demais fatos, ela será listada aqui, apenas como um complemento extra para vocês.

Angrboda é uma Jotun e não um "deus" (Explicarei mais abaixo, um pouco de alguns versos textualizar ela como um deus). Os Jotuns são uma espécie de "titãs" da mitologia nórdica (em referencia a mitologia grega). É uma raça que tem totalmente oposição contra os deuses, mas em muitos casos se misturam com os deuses. Afinal o motivo a qual foi casada com Loki ("Deus" do fogo) não seria de discordância não é mesmo?

Primeiramente deu a luz a Fenrir com o objetivo de usá-lo como disfarce para roubar o sol do céu, assim poderia alimentá-lo completamente sobre a carne dos deuses mortos. Em versos da prosa, a um conto sobre Ragnarök, onde Odin pergunta um sábio sobre o que haverá depois que Fenrir engolir o sol. Supostamente Fenrir e não meramente Angrboda engoliria o sol. Logo mais tarde, Angrboda deu a luz a Jormungand e Hel.

Em alguns textos da prosa ela é listada como deusa do medo, talvez pelo seu próprio nome que tem o significado de que alguém que traz dor, tristeza, medo. Segundo o nórdico antigo. Ela nasceu em Jötunheimr, que é um dos noves mundos da mitologia nórdica e é considerado o mundo dos gigantes. Conta a lenda que sua origem foi por uma bruxa que promovia eventos em Midgard, em uma floresta chamada Ironwood. Onde habitavam as Trolls mulheres. Desses eventos veio um ditado (que não consegui achar de maneira alguma) onde o mais forte seria chamado de Mánagarm e seria responsável por engolir a lua.


Infelizmente é difícil encontrar uma imagem desta. (Espero que nem liguem)

Fenrir ou Fenris (O Lobo que matou Odin)


Fenrir é a nossa primeira citação aqui, eu vou voltar a repetir é filho de Loki com Angrboda, posteriormente irmão de Jormugand e Hel.


 

Fenrir foi preso pelos deuses, pois apresentava grande perigo a Asgard. Pois as criações de Loki e Angrboda, para Odin seriam grandes problemas para os dueses, posteriormente manda o para Aesir.

La era cuidado por Týr (Terá um post com destaque para ele, aguardem), cuidado como um prisioneiro. Týr era considerado o único que podia alimentar o monstruoso e gigante Fenrir. Em alguns contos da Edda, Týr perde a mão para Fenrir, após tentar alimenta-lo.

Os deus notavam que o Lobo não parava de crescer, preocupados temiam que eles causaste destruição. Era condenável sua situação a quais o colocaram, acorrentado e posteriormente solto, Fenrir ira trazer grandes problemas e perdas nos eventos de Ragnarök. Causara um caos no Fim dos Tempos. A qual matará Odin e será morto por Vidar.

Filho de Loki, Fenrir tinha dois filhos. Um era Hati, o odioso e não penoso lobo que tinha como objetivo destruir e devorar a lua, e é considerado o lobo noturno. O outro filho de Fenrir era Skoll, encarregado de perseguir o sol, não só o sol como os cavalos de Arvákr e Alsvid. Também são eles que dão o inicio do Ragnarök, após concluir seus objetivos de acabar com a Lua e o Sol (Deve se notar aqui que a dois deus que protegem a lua e sol, são eles Mani e Sól), onde tudo escurece e a guerra com os deuses começa.

A luta contra Odin. Após o fim do do mundo começar, os deus se sentem obrigados a lutar e será em uma dessas lutas que Odin morrerá, senda a tristeza de Frigg. O acorrentamento do lobo fez, a fúria e a criação de seus dois filhos. O Ragnarök começa, e em uma breve luta contra Odin. E acabou por  Fenrir engolir Odin vivo.




Por fim Fenrir morre por Vidar (Deus da vingança). Vidar busca entrar nos eventos de Ragnarök com o objetivo de matar Fenrir, para assim vingar seu pai. Vidar mata Fenrir abrindo sua boca até rasga-la .


Como eu acho que é muita coisa para uma postagem, continuarei em outra, aguardem!

domingo, 17 de fevereiro de 2013

Loki (Deus do Fogo)


Continuando nossa série sobre deuses nórdicos, hoje vamos falar sobre Loki. Talvez um vilão ou um simbolo da maldade? Loki é considerado o Deus do fogo, da trapaça e travessura e também um dos mais importantes da mitologia nórdica. Então vamos nessa!




Loki é considerado o Deus que pode assumir a forma do que quiser, seja o gigante da obra de Elmer Boyd Smith, a um animal assim como seus filhos. Loki é uma figura complexa e de amplo estudo, e hoje estamos compartilhando com vocês informações sobre este gigante.

Loki é um grande mentiroso e traiçoeiro, mas não leve isso para o lado negativo, grande parte disso é habilidade sua para fins de seus interesse, então como estratégia elas causam problemas a outros deuses como os de Asgard. Mas não pense que este Deus é unicamente ruim, foi grande parceiro de Thor e único que consegue recuperar seu martelo, porem ainda possui artefatos de outros deuses como o próprio martelo de Thor e a lança de Odin, que alias foi o presente do próprio Loki para Odin, em uma tentativa arriscada de recuperar amizades de Aesir e Vanir. Aesir um clã de Asgard e Vanir um grupo de deuses da fertilidade, com destaques para Frey, Freyja e Njoror (além de outros deuses).

É considera uma das grandes figuras nos versos e poemas de Edda. No poema consta a parte onde Aegir, Deus dos mares e oceanos, promovia eventos para os deuses onde eles elogiavam alguns deuses de Vanir. E Loki por não suportar isso, mata Fimafeng e então Aegir e outros o deuses expulsão Loki. Após isso Loki volta ao evento e promove um Flyting, que nada mais é do que um concurso de insultos feito diretamente aos deuses e outros deuses. Vejam as imagens mais abaixo onde aparece Loki e Freyja em um Flyting (imagem de Lorenz Flölich) e também a imagem de Loki zombando Bragi. (imagem por W. G. Collingwood)





Vale destacar para os amantes de HQ que Laufey proposta como pai de Loki pela Marvel Comics, nada mais é do que a mãe de Loki segundo os poemas de Edda. E então seu pai é Fárbauti, a versão criada por Stan Lee é feita para se adequar com o universo Marvel Comics e como eu já citei em outros postes, não meramente a história seja contada verdadeiramente nos quadrinhos, pois a muitas expansões como Avangers e New Avangers onde essa colocação é feita de maneira totalmente fictícia. Vale destacar que não só a Marvel fez HQ's sobre mitologia nórdica, a própria DC já propôs isso na revistinha chamada DC Millennium. E essas adaptações são feitas baseadas na Mitologia Nórdica e não meramente seguem os poemas e versos de Edda. Loki também é irmão de Býleistr e Halblindi.

Loki tinha alguns filhos, entre eles as criaturas monstruosas dele e uma de suas esposas a giganta Angrboda, com ela teve os filhos Ferir (O lobo que engoliu Odin), Jormungand (A serpente que mata Thor e morre por Thor) e Hel (banida por Odin, para o mundo das profundezas tem o corpo metade mulher, metade esqueleto. O vilão Duas-Caras do Batman foi inspirado na Hel).

Loki também foi casado com Signyn e com ela teve os filhos Nari e Narfi. Em alguns casos fora de Edda a mitologia nórdica apresenta Vali como filho de Loki, posteriormente irmão de Nari e Narfi e filho de Singnyn. Em outros versos Vali seria irmão de Thor posteriormente filho de Odin com Rind. Vali nasceu com o propósito de matar o Deus cego Holder, o então irmão de Balder. Balder é morto por Loki com uma flechada em seu coração. Os motivos desta morte, são porque Balder era um Deus conhecido pela sua bondade e conquistava a todos com sua paz e amor por onde passava, o que construiu a inveja e a ira de Loki que então matou Balder.




Por passar das duvidas Loki é considerado um personagem bem maléfico, e segundo teorias não é considerado um personagem perigoso. Porem ainda sendo considerado um personagem mal, muitas vezes é citado como um dos maiores aliados dos Deuses, tendo como principio uma das maiores aventuras da mitologia nórdica. A amizade de Loki com Thor, porem haverá muitas discórdias entre ambos, haverá muitas batalhas.

Entre suas intrigas a que mais merece destaque é a do poema Lakasenna, onde Loki e Odin discutem e trocam insultos sobre fatos do passado e meramente Frigg deusa e esposa de Odin, diz que o que ocorre no passado fica no passado, pois então Loki retruca e passa a insultar Frigg, é então que Thor chega e manda Loki calar-se, dizia que Loki não se passava de uma criatura maléfica e qual ao impor seu martelo disse que ia silenciar Loki, e assim também passam a discutir.




Eu espero que gostem deste post, pois o que é escrito aqui da muito trabalho de pesquisas e pesquisas. Então agradeço a todos vocês que leram este post até o final, fico grato se curtirem meu trabalho e dar um curtir na pagina através do Facebook. E se não for incomodo, se você for admirador e conhece outros admiradores da mitologia nórdica, que compartilhem este post, ficarei muito agradecido a todos vocês. Bom, até a próxima!

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Frodo Bolseiro


A postagem de hoje é sobre Frodo Bolseiro, herói da Terceira Era, um hobbit comum, que acabou sendo o herói mais inesperado de todos. Ao contrário dos outros heróis, que tinham força ou inteligência, Frodo não é um personagem ícone de herói, mas é está sem dúvida no mesmo nível que vários outros grandes heróis como Húrin e Fingolfin.

Filho de Drogo e Prímula, Frodo ficou órfão quando seus pais se afogaram em um passeio de barco no Rio Brandevin. Algum tempo depois ele foi adotado como herdeiro por seu tio Bilbo Bolseiro, e veio morar em Bolsão.




Quando Bilbo parte para com os elfos, Frodo é dono de Bolsão por algum tempo, e também do anel mágico de seu tio, que ambos não sabiam ser o Um Anel de Sauron. Oito anos depois, Gandalf vem até o condado e conta a Frodo que ele precisa ir até Mordor destruir o Um Anel, para assim salvar a Terra Média.

Frodo resolve partir do Condado, levando consigo seu fiel amigo Samwise Gamgi, e também Meriadoc Branquebuque e Peregrin Tûk. Depois de testemunhar o terror dos Nazgûl, reis dos homens corrompidos por Sauron, Frodo, Sam, Merry e Pippin chegam a Valfenda, onde reencontram Bilbo. No conselho de Elrond, após juntar todas as informações de todas as partes aliadas, fica decidido que a Sociedade do Anel, formada por Frodo, Sam, Merry, Pippin, Legolas (filho de Thranduil, Rei da Floresta das Trevas), Gimli (filho de Glóin), Boromir (filho de Denethor, Regente de Gondor), Aragorn (filho de Arathorn, herdeiro de Gondor) e Gandalf, o Andarilho Cinzento, deveria levar o Um Anel até Mordor e jogá-lo na Montanha da Perdição, para destruí-lo.

Depois de provações que incluem passar por Moria, enfrentar um balrog e muitos, muitos orcs, Frodo acaba rompendo a Sociedade e parte com Sam pelas Emyn Muil. Lá eles encontram Gollum, o portador anterior do anel, que acaba tentando matá-los mas acaba por guiá-los até Mordor.

No fim Frodo acaba chegando em Orodruin (Montanha de Perdição), mas acaba não tendo a força suficiente pra jogar o anel no fogo. Ele é um dos poucos heróis que no final não consegue se orgulhar da história, porque ele não foi o responsável pelo bem do mundo. O Um Anel acabou crescendo dentro da sua mente, e no fim ele era importante demais para poder ser destruído, pois era isso que o anel fazia: ele tomava conta de seu dono, pois tinha vontade própria.

   Frodo interpretado por Elijah Wood, dentro da montanha da perdição


Ele ganhou bastante destaque por ser pequeno, não cheio de corajem ou força, não provido de uma mente extremamente inteligente ou de algo que o diferenciasse dos outros. Sua maior características foi que ele aceitou o fardo que caiu sobre ele, e fez o que era preciso sem fugir, aceitando o destino e fazendo o necessário mesmo sabendo que isso provavelmente o consumisse.

No fim, Frodo e Bilbo foram no último barco dos elfos que partiu da Terra Média para a terra abençoada de Aman, e o peso que não o tinha abandonado memso após a destruição do anel provavelmente foi curado, uma vez que ele esteve frente a frente com os poderes. :)

domingo, 10 de fevereiro de 2013

Túrin Turambar (Dagnir Glaurunga)


Hoje vamos falar sobre Túrin, filho de Húrin, um homem que teve um história trágica, cheia de altos e baixos. Ele foi um herói da Primeira Era, e talvez tivesse sido um dos mais lembrados, não fosse alguns feitos sombrios. Vejo nele um tipo de herói diferente, pois ao contrário de seu primo Tuor, Túrin não é aquele tipo de herói clichê, apesar de ser forte e corajoso, ele não era alegre e pouco falava, sendo mais rápido na compaixão do que no riso, e era muito explosivo. Talvez ele seja meu herói favorito por me identificar um pouco com ele.

Vou tentar resumir a história de Túrin pois é um conto excepcionalmente grande, e em breve pretendo disponibilizá-lo por completo. Pelos vários lugares que passou, Túrin recebeu vários nomes: entre os proscritos foi chamado Neithan (Injustiçado), em Nargothrond era Agarwaen (Sujo de Sangue) e em Brethil fico conhecido como Turambar (Senhor do Destino). Todos esses nomes foram adotados na tentativa de fugir de seu destino amaldiçoado.




Túrin é citado no Silmarillion, e Os Filhos de Húrin contam sua história mais detalhadamente. Filho de Húrin, da casa de Hador e Morwen, da casa de Beör, foi separado de seu pai por causa da guerra, e morou com sua mãe até suas terras serem dominadas e sua mãe mandá-lo para a terra de Doriath, onde foi acolhido pelo rei Thingol. Lá ele é acolhido como filho pelo rei, e parte para as fronteiras que estão insfestadas de orcs, fazendo amizade com o mais forte dos elfos daquela região: Beleg Arco-Forte.

Durante uma estadia em Menegroth, foi surpreendido e atacado por Saeros, mas conseguiu dominado e despir-lo, sendo depois expulso de Doriath por causa de disso. Muitos foram seus caminhos depois disso, sendo um proscrito durante anos, um dia foi capturado por um bando de orcs, do qual Beleg tentou libertá-lo durante a noite, sendo morto por Túrin acidentalmente, pois nosso herói pensava que estivesse sendo atormentado pelos orcs, uma vez que Beleg se aproximou sorrateiramente durante a noite.

Perturbado por ter matado seu amigo, Túrin vaga em seu desespero, mas é purificado por Gwindor que o leva a Nargothrond. Lá Túrin tem grande importância, e é enormemente amado pelos habitantes. Aí está uma característica marcante de Túrin, por todos os lugares por onde ele passa ele acaba sendo amado e idolatrado pelos homens e elfos,mas logo todos caem sobre sua sombra, causada pela maldição de Melkor. Ele leva os elfos a saírem em combate direto, contrariando a decisão de Orodeth, o rei.

Como resultado a isso, a localização da cidade é conhecida e, por ordem de Morgoth, Glaurung, o pai dos dragões, a ataca. Nargothrond é completamente destruída e num duelo x1, Túrin é enfeitiçado pelo dragão, que diz que sua mãe é mantida como escrava em Dór-lómin, e para lá ele se dirige.




Depois de descobrir que sua mãe foi para Doriath, ele parte em busca da filha de Orodreth, Finduilas, que havia sido capturada pelos orc que vieram junto com Glaurung. Ele acaba chegando em Brethil, e descobre que Finduilas morreu. Lá ele acaba se junto ao povoado dos haladin, e como nos outros lugares a que visitou, Túrin vira muito amado e acaba sendo acolhido como líder por eles, casando-se com Níniel, que foi encontrada no túmulo de Finduilas. O que Túrin não sabia é que Níniel era na verdade sua irmã, que tinha esquecido de seu passado graças ao seu encontro com Glaurung nas ruinas de Nargothrond.

Glaurung decide atacar Brethil, mas é emboscado por Túrin e seus homens, que no final derrotam o dragão. Antes de morrer, a fera revela a Túrin que ele casou com a própria irmã, e o herói crava sua espada amaldiçoada, Gurthang, no chão e pula em cima dela,tirando a própria vida.



Assim morre o mais azarado dos homens, e o mais forte depois de seu pai, tirando a própria vida com a lâmina amaldiçoada com que matou seu melhor amigo.

Em seu túmulo está escrito: 

"TÚRIN TURAMBAR DAGNIR GLAURUNGA  
TÚRIN, SENHOR DO DESTINO,A PERDIÇÃO DE GLAURUNG"